sábado, 23 de setembro de 2017

BOCA NO TROMBONE...






POWERPOINT - ASPECTOS FÍSICOS DA AMÉRICA LATINA - 9ºs ANOS


Olá! Está disponível para download o PowerPoint sobre o quadro natural, ou físico, da América Latina. Este material não contém narração!
Após o download em seu computador, clique em "somente leitura", para que você possa abrir o PowerPoint.
Para baixar, vá até a coluna "aulas em PowerPoint", à direita do blog, ou clique aqui.
Bom estudo!!

POWERPOINT NARRADO - POPULAÇÃO EUROPEIA - 8ºs ANOS


Olá! Esta disponível para download, o PowerPoint narrado sobre o quadro humano da Europa. Não se esqueça de que, devido a narração, o download poderá ser um pouco mais demorado.
Para baixar, vá até a coluna "aulas em Powerpoint", no canto direito do blog, ou clique aqui.
Bom estudo!!

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

CANAL DO PANAMÁ - HISTÓRIA E ANIMAÇÃO (9ºs ANOS)


Para ver uma animação sobre o Canal do Panamá, clique aqui.

Interessado em unir os oceanos Atlântico e Pacífico, de forma que suas embarcações realizassem essa travessia em curto espaço de tempo, na segunda década do século XX os Estados Unidos construíram, no então território colombiano, um canal que permitisse essa passagem. O fator geográfico decisivo para a localização do canal foi a área mais estreita do continente, onde o Atlântico mais se aproxima do Pacífico. 
As coisas não ocorreram de forma fácil: inicialmente, uma empresa francesa seria a responsável pela construção do Canal, juntamente com o governo colombiano, mas, como entrou em dificuldades financeiras, vendeu suas ações ao governo dos Estados Unidos. Como o governo dos EUA não aceitaram pagar a parte que o governo colombiano tinha na empresa, os desentendimentos entre os dois países começaram... (para concluir a leitura, clique em "continue lendo")

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

A CORDILHEIRA DOS ANDES E A INFLUÊNCIA CLIMÁTICA NA AMÉRICA DO SUL - ANIMAÇÃO (9ºs ANOS)

video

Ao contrário do que muitos imaginam, a Cordilheira dos Andes, um dos maiores e mais majestosos dobramentos modernos do mundo, não é tão somente um dos mais belos cartões postais da América do Sul. A cordilheira exerce uma importante influência no clima de todo o subcontinente sul-americano, uma vez que impede a passagem da umidade proveniente do Atlântico. Dessa forma, reforça as já abundantes precipitações em toda a floresta amazônica (tanto na Amazônia Legal quanto na Amazônia Internacional) e também em grande parte do território brasileiro, especialmente nas regiões sul e sudeste do país.
A animação acima permite visualizar esse processo de forma bastante clara. Talvez os mais atentos se perguntem: se a umidade do Atlântico atinge o Brasil, como se explica, então, a existência do clima semiárido no Nordeste brasileiro? Embora não mostre na animação, devemos nos lembrar de que, na região Nordeste do Brasil, há o planalto da Borborema, que dificulta a entrada da umidade do Oceano Atlântico, fato que colabora para a formação desse tipo climático no nordeste.
Aqui está! Não deixem de ver essa animação. 

domingo, 20 de agosto de 2017

ANÁLISE DE UM CLIMOGRAMA - (8ºs ANOS)

http://www.educaplus.org/climatic/index.html

Um climograma se refere a dois gráficos em um: um gráfico de barras, que representa o índice pluviométrico, isto é, as chuvas ou precipitações de um lugar (neve, granizo...), e outro gráfico de linha, que indica a temperatura do lugar. É importante observarmos com atenção as duas colunas laterais, que indicam as unidades de chuva e temperatura. No climograma acima, a coluna de chuva (mm) encontra-se à esquerda e a coluna de temperatura (ºC) encontra-se à direita. Contudo, isso não é regra e, portanto, pode haver climogramas onde essas colunas estejam "invertidas", o que não representa nenhum problema, desde que estejamos atentos.
Os dados de um climograma nos mostram as variações termopluviométricas anuais (observe as iniciais dos meses do ano na coluna horizontal).
É importante também, ao analisarmos um climograma, verificarmos a amplitude térmica do local representado. Amplitude térmica é a diferença entre a temperatura mais alta e a mais baixa, de um dia, semana, mês ou ano. No caso do climograma, como ele nos apresenta as características anuais, é possível calcularmos a amplitude térmica do ano.
Aqui vai um exemplo de análise do climograma acima: grande amplitude térmica (23ºC), verão quente e relativamente seco e inverno frio e úmido; chuvas mal distribuídas; o mês mais chuvoso foi novembro e o menos chuvoso foi julho; os meses mais quentes foram julho e agosto e o mais frio foi janeiro. Refere-se a um lugar do hemisfério norte (observe que o verão ocorre no meio do ano). Esse climograma se refere ao clima Mediterrâneo (da cidade de Vlora, na Albânia). Quaisquer dúvidas, deixe-as aqui! Um abração!

quarta-feira, 26 de julho de 2017

PARA ENTENDER A GLOBALIZAÇÃO (8ºs ANOS)


Imagine que o Papai Noel deste vídeo seja uma grande empresa transnacional (como a Coca-Cola, a Nike, a GM...). Preste bem atenção! Veja como as transnacionais se comportam neste mundo globalizado. Um vídeo bem esclarecedor, que poderá lhe ajudar muito para as provas deste trimestre (e, mais do que isso, entender melhor sobre o assunto!). Sabemos que o Papai Noel não existe, mas aqui vale a comparação, em tom de brincadeira! Que tal assistir?

video



GLOBALIZAÇÃO (8ºs ANOS)

video

Iniciamos, há algum tempo, os estudos sobre um dos temas mais importantes da Geografia: a globalização.
A globalização faz parte, diretamente, da nossa vida. Já transformou o mundo e continua transformando. E você acha que isso não afeta sua vida? Que não afetará seu futuro? Se você acredita que sim, acertou em cheio! Daí a necessidade de estudar e compreender esse tema.
Por isso, deixo este vídeo, muito interessante, feito por um aluno de Geografia numa das tantas escolas deste enorme país. Trata-se de um vídeo simples, mas que manda muito bem o seu recado! Para ampliar a imagem basta clicar nele. Bom estudo!

A IMPORTÂNCIA DA CORRENTE DO GOLFO (8ºs ANOS)

Estudamos, durante as últimas semanas do primeiro semestre, os diversos fatores que interferem diretamente no clima europeu e, entre eles, vimos a importância da Corrente do Golfo. O youtube publicou um pequeno, mas interessante, documentário sobre esse tema, o qual já vimos em aula. Disponibilizo, aqui, o link. Espero que gostem!

CORRENTES MARÍTIMAS (8ºs ANOS)


Na semestre que passou, estudamos sobre os aspectos físicos ou naturais do continente europeu. Como vimos, o clima é um componente muito importante entre os aspectos naturais e, como sabemos, é formado por diversos fatores. Um deles são as correntes marítimas. Você sabe o que é uma corrente marítima? Se ainda não sabe, esse vídeo vai ajudá-lo a compreender melhor. Além disso, com o link abaixo, você pode ler um texto bem simples, explicando esse fenômeno. Bom estudo!  

terça-feira, 25 de julho de 2017

DESERTIFICAÇÃO (9ºs ANOS)

video

Em algumas regiões do território brasileiro vem ocorrendo um processo de desertificação, relativamente semelhante ao que estudamos nesta semana sobre o continente africano. Embora hajam algumas diferenças nesse processo, quando comparamos as ocorrências daqui e da África, é possível encontrarmos muitas semelhanças. Veja este pequeno vídeo e pense: quais são as semelhanças entre esse tipo de ocorrência aqui no Brasil e ao sul do Saara, na África? Vale uma análise!

Veja, também, "A desertificação é um assassino silencioso"Clique aqui.

PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA NA ÁFRICA SUBSAARIANA: PLANTATIONS (9ºs ANOS)

                                     PRODUÇÃO DE CACAU

Na África Subsaariana a atividade rural está voltada para a exportação, por isso existe um grande número de lavouras monocultoras de produtos tropicais.

O sistema de plantations, ou seja, culturas tropicais que ocupam grandes extensões de terra, é um modo de produção introduzido pelos colonizadores europeus na segunda metade do século XIX. Na contemporaneidade essa prática continua sendo desenvolvida em enormes propriedades rurais, que não são de propriedade dos povos nativos, pelo contrário, pertencem a empresas estrangeiras ou a ricos fazendeiros brancos de descendência europeia. (clique em "continue lendo") 

ÁSIA: CONTINENTE DE CONTRASTES (9ºs ANOS)



Alunas do Ensino Médio de uma escola de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, realizaram, em 2009, este excelente trabalho sobre o continente asiático. Nele, você poderá observar os principais aspectos da Ásia, alguns dos quais estamos estudando neste momento, e outros que estudaremos muito em breve. Não conheço as alunas, mas deixo aqui meus parabéns pela qualidade do trabalho, incluindo a Língua Portuguesa impecável, sem erros ortográficos, o que deixou o trabalho ainda mais belo. Elas próprias deixaram o trabalho na Internet e pedem para que ele seja divulgado e utilizado por outros alunos e/ou professores. Aqui está ele, não deixem de assistir! 

CONTRASTES CLIMÁTICOS (9ºs ANOS)
























Nosso planeta é mesmo muito contrastante!

As chuvas são necessárias para a Ásia Meridional. Mas, muitas vezes, a tragédia vem junto com elas...São as monções de verão. Enquanto isso, no Oriente Médio...
Já na África do Sul, o clima não é problema... A National Geographic produziu um documentário interessante: num único dia (27 de Julho) sua equipe de repórteres percorreu várias partes do planeta para observar as diferenças climáticas contrastantes. Assista uma parte dessa reportagem...

CHINA: DINÂMICA DEMOGRÁFICA - 9ºs ANOS


Conforme já analisamos, a China tem a maior população absoluta do planeta, superando 1,3 bilhões de habitantes. Vimos, também, que esse fato acarreta enormes transtornos à economia do país, o que levou o governo a adotar algumas medidas.
A política do filho único adotada pelo governo chinês, em 1978, reflete uma ação de controle de natalidade, cujo principal objetivo era reduzir as taxas de crescimento demográfico da população chinesa, evitando seus efeitos como, por exemplo, gastos públicos com saúde, transporte, educação, habitação, prestação de serviços básicos, etc.
Em função dessas medidas, ocorreu uma redução das taxas de crescimento vegetativo, o que revela que a população chinesa está seguindo a tendência mundial registrada há décadas nos países mais desenvolvidos, expressando a transição demográfica, em que há a passagem da caracterização de um país tipicamente jovem para um país que registra um processo de envelhecimento da população.
Entretanto, como consequências para essa alteração, ocorreram problemas relativos à escassez de mão de obra e a crescente pressão sobre os sistemas de saúde e previdência. Isso levou o Estado a  adotar, no final de 2015, a política dos dois filhos, a qual permite que cada casal tenha dois bebês. Leia reportagem publicada no site EXAME.com em março de 2017.

GALERIA DE FOTOS - MONÇÕES NA ÍNDIA (9ºs ANOS)

Se em 2013 as chuvas de monções na Índia estavam muito acima do normal, neste ano a situação se inverteu. As chuvas já estão muito abaixo da média, o que pode prejudicar a agricultura, em especial a produção de arroz, provocando, inclusive, um aumento no valor desse produto, já que a oferta é menor do que a procura. Além disso, alguns problemas já estão ocorrendo em determinados pontos da Ásia. 
Em 2012, a revista Veja publicou uma galeria de imagens interessantes sobre as chuvas daquele ano, que valem ser revistas! 


PLANTATIONS NA ETIÓPIA (9ºs ANOS)

video

A Etiópia é um dos países mais pobres do mundo. Durante as décadas de 80 e 90, o país chamou a atenção do mundo devido as milhares de pessoas mortas em função da fome. Até hoje, a maior parte das imagens sobre a fome capturadas no Google são daquela época, naquele país.
A Etiópia, país localizado no "Chifre da África", por onde passa parte do Sahel (semiárido), melhorou de lá para cá, mas ainda está muito longe de ter superado seus problemas. A fome ainda ronda aquele país.
Contudo, na pequena porção de terras férteis, estão se instalando propriedades agrícolas controladas por empresas multinacionais agrárias. Elas ocupam as melhores terras, aumentando seu valor e dificultando a aquisição de terras pela população mais pobre. Isso nos faz lembrar a agricultura de Plantations, explorando a mão-de-obra local e exportando a produção para os países ricos.
Veja esse vídeo! Bem interessante...